Noticias

Imprimir

05/12 - Greve geral contra a Reforma da Previdência

Ligado . Publicado em Notícias

 

 Michel Temer quer presentear os trabalhadores com mais um ataque: votar a Reforma da Previdência em 6 de Dezembro, uma proposta reformulada onde uma das categorias mais penalizadas será o funcionalismo público. Frente a esses ataques, uma nova geral foi convocada para o dia 05 de dezembro: “As Centrais Sindicais convocam todas as entidades sindicais e movimentos sociais a realizarem ampla mobilização nas bases – assembleias, atos, debates e outras atividades – como processo de organização de uma Greve Nacional, no dia 5 de dezembro, contra as propostas de reforma da Previdência Social, que acaba com o direito à aposentadoria dos trabalhadores brasileiros”.

A Reforma da Previdência se soma  à MP 805, à PEC do Congelamento e ao arrocho salarial para massacrar os servidores e destruir os serviços públicos. Frente a esse Pacotão de maldades do Governo Temer, a Greve Geral é melhor resposta a ser dada pelo conjunto da classe trabalhadora, pelos setores oprimidos e também por nós servidores públicos.   Por isso o Sintsep-Pa convoca a todos os seus filiados a paralisar suas atividades e tomar as ruas no dia 5 de dezembro em defesa da Previdência, dos serviços públicos e de nossos direitos.  

Fortalecer a greve da FASUBRA com greve unificada dos SPFs

É preciso transformar esse dia num grande movimento contra a reforma da previdência, pelo Fora Temer e todos os corruptos, pela revogação da reforma trabalhista, da EC 95/2016 (que congela investimentos por 20 anos) e das MPs contra os servidores.  É preciso também fortalecer e transformar a heroica greve nacional da FASUBRA que já agrupa 39 universidades em uma GREVE UNIFICADA DO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL por tempo indeterminado. Para isso acontecer é necessário que a CONDSEF e demais entidades nacionais convoquem greve também. Além do mais é necessário que as centrais não repitam a traição do dia 30 de junho quando boicotaram a greve geral buscando fazer acordos de gabinete com o governo.

Fora Temer e suas reformas que atacam direitos e mantém privilégios.

Buscando diminuir o rechaço a Reforma, o governo gasta bilhões de reais em propaganda mentirosa garantindo que a Reforma da Previdência serviria pra combater privilégios, tentando assim esconder que sua proposta se aprovada excluirá milhares de trabalhadores do direito a aposentadoria. O governo estipula tempo de contribuição mínima de 15 anos (25 anos para o servidor público)  e idade para aposentar aos 65 para homens e 62 para mulheres.

 Se a ideia é combater privilégios por que não cortar os inúmeros privilégios  do presidente e do congresso? Por que Michel Temer e Deputados que votam a favor desse reforma não abrem mão de suas aposentadorias especiais? 

A Resposta nós já sabemos: o objetivo das reformas de Temer é seguir privilegiando o bolso dos banqueiros, via dívida pública, com gordas fatias do orçamento federal. 

Não podemos aceitar. Fora Temer e todos os corruptos!